O Primeiro Curso de Biblioteconomia do Brasil

Como já abordado na postagem anterior do blog, durante a administração de Manuel Cícero Peregrino da Silva na Biblioteca Nacional, o seu pioneirismo foi bastante notável ao adotar diversas medidas que beneficiaram a biblioteca e a criação do curso de Biblioteconomia, que foi o primeiro da América Latina.

Desde que foi fundada, a Biblioteca Nacional era alojada em prédios adaptados, mas no ano de 1910 foi transferida para um novo prédio construído especificamente para ser a sua sede. Neste período várias reformas administrativas foram adotadas e entre elas estava o projeto de criação do curso de biblioteconomia no Brasil, tudo isso de acordo com a lei n° 2.356, de 31 de dezembro de 1910. Segundo Mueller (1985), o curso teve início em 1915 e sua estrutura tinha como principal influência a École Nationale des Chartes, na França.
Já era considerado um curso de nível superior, que exigia dos candidatos à conclusão do curso de Humanidades (o que seria o equivalente ao nosso ensino médio) e um exame de admissão. De acordo com Fonseca (1979), o curso consistia de quanto matérias:
• Bibliografia *
• Paleografia (estudo das antigas formas de escrita) e Diplomática
• Iconografia (estudo dos símbolos e imagens)
• Numismática (estudo das cédulas, moedas e medalhas)
* No programa de Bibliografia eram incluídas as matérias de Catalogação, Classificação, Organização e Administração de bibliotecas.

O curso de biblioteconomia tinha por objetivo a formação de profissionais qualificados para atender as necessidades da Biblioteca Nacional. Tanto que a estrutura do curso tinha como direcionamento o conteúdo das coleções, tipos de materiais, cuidados especiais de armazenamento e preservação. A preparação dos futuros alunos como já citado, era voltada para a profissionalização para o funcionamento da instituição. O exame de admissão para aqueles interessados no curso, era composto de provas de Português, Geografia, Literatura, História Universal, Francês, Inglês e Latim.

Em 1915, vinte e um alunos foram aceitos e mais seis alunos foram incluídos por determinação do Ministro da Justiça e Negócios Interiores, Carlos Maximiliano Pereira dos Santos, totalizando uma turma de 27 alunos (CASTRO, 2000). As aulas iniciaram em 12 de abril de 1915, tendo dois dias antes a aula inaugural proferida por Constâncio Antônio Alves, então Diretor de seção de Bibliografia da Biblioteca Nacional e tendo como tema do seu discurso a “Função do Bibliotecário". As aulas ocorreram entre os dias 12 de abril a 30 de novembro de 1915.

O primeiro curso de Biblioteconomia da Biblioteca Nacional foi um marco na história da biblioteconomia no Brasil. Foi através dele que outros cursos de biblioteconomia foram criados em outras instituições brasileiras. Tendo como exemplos:

• A Prefeitura Municipal de São Paulo, que através do Departamento de Cultura criou um curso de biblioteconomia em 1936. O curso foi incorporado em 1940 à Escola de Sociologia e Política de São Paulo e funciona até hoje;
• Em 1942, foi criada a Escola de Biblioteconomia e Documentação da UFBA;
• Em 1947 surge a Escola de Biblioteconomia e Documentação da UFRS;
• Através da resolução n° 01/69, em 06 de janeiro de 1969 foi criado o curso de bacharelado em Biblioteconomia da UFPB.

Através desse estudo podemos observar que apesar do curso de Biblioteconomia ter sido criado pela Biblioteca Nacional para atender as suas próprias necessidades institucionais, ele foi o pontapé inicial para que o curso de biblioteconomia fosse instituído em todo o Brasil. E assim desta forma, sendo um dos pilares junto com a Arquivologia e a Museologia da Ciência da Informação.


Estudo realizado por Jonatã da Silva Higino, aluno do Curso de Graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal da Paraíba.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Contribuição de Gabriel Naudé para a Biblioteconomia

O Futuro da Biblioteconomia.